domingo, 25 de outubro de 2009

Carta de Dom Anuar Battisti aos Jovens - Conclusão

5 - JOVEM, AGENTE DE TRANSFORMAÇÃO

Somos pessoas inseridas numa cultura, temos determinados hábitos, fazemos certas coisas por força do tempo e do espaço em que vivemos.
Somos seres históricos e situados numa localidade concreta. Estamos todos inseridos num ambiente de pessoas, seja na família, na Igreja, no trabalho, na escola etc. Todos temos relações humanas que nos acrescentam e nos transformam. Se você, jovem, escolher este caminho de maturidade cristã – busca do sentido da vida, integrando as dimensões da pessoa humana, vivendo uma afetividade saudável – o próximo passo será inevitável: ser agente de transformação no mundo a serviço do Evangelho. O jovem que faz todo este caminho de busca da felicidade encontra, necessariamente, a transformação de si. É impossível continuar sendo o mesmo depois de uma verdadeira tomada de consciência. Quem toma consciência de si transforma sua vida, muda seus hábitos, coloca-se no grupo dos que trabalham por um mundo melhor. Isso é ação do Espírito Santo, que transforma os caídos e machucados em pessoas revigoradas, tornando-os luz para o mundo, fermento na massa, causa de mudança nas estruturas injustas. Aqui está o princípio para se organizar um projeto pessoal de vida.
O jovem deve ser agente de transformação no seu próprio meio. Quantas pessoas perecem pela falta da justiça, pelo desrespeito à dignidade humana. Quantas estão excluídas do progresso da ciência e da técnica. Quantas são vítimas da concentração da renda e da riqueza produzida, sem falar da falta de paz, do meio ambiente depredado etc. Dentro da juventude reside uma força muito grande de transformação de si mesma para transformar as estruturas injustas.
Você, jovem, precisa cada vez mais assumir o protagonismo próprio do jovem no mundo, na sociedade, na Igreja. Não pode deixar que os outros façam o que você pode e deve fazer. O compromisso de um mundo melhor depende de todos, principalmente do dinamismo e da coragem dos jovens. Recordo aqui o gesto solidário do Bom Samaritano, que vendo o caído, sente compaixão, aproxima-se e cura-lhe as feridas. Jesus diz ao mestre da lei que queria saber o que fazer para possuir a vida eterna: “Vá e faça a mesma coisa” (Lc 10, 37).

6 - A MÍSTICA PARA O JOVEM HOJE

Querido jovem, você não está sozinho. Está com a Igreja, comunidade dos seguidores de Jesus Cristo. Não somos uma comunidade perfeita, mas em nós há o desejo sincero e autêntico de seguir o Cristo, de nos configurarmos cada vez mais a Ele, nosso único e bom Pastor. Conte comigo, com minha amizade, venha também ser um discípulo missionário de Jesus Cristo.
Para isso Jesus, consciente de nossas fraquezas, deu-nos todos os meios necessários para levar adiante o seu pedido missionário.
Jesus Cristo nos indica, primeiramente, sentar aos seus pés e ouvir no silêncio de nossa consciência a voz do Pai. Deixar-se tocar pela oração pessoal, pelo cultivo de uma espiritualidade que fomente em nós o desejo da missão, do encontro com o outro. Na comunidade cristã rezamos uns pelos outros, fazemos a oração comunitária, de forma especial a santa Missa, onde nos encontramos com Deus que se faz alimento na Palavra e no seu Corpo e Sangue.
Mas também encontramos Deus nos outros sacramentos.
São sete que Ele permitiu que conhecêssemos, o suficiente para recebermos as graças necessárias à nossa vocação cristã. Jovem, veja no sacramento um valor para a sua vida, de forma especial a Eucaristia e a confissão.
Somente quem fez a experiência da graça dos sacramentos pode afirmar a beleza que é uma boa confissão: mais que “limpar” nossos pecados, ela nos dá a oportunidade de voltar à casa do Pai. A Eucaristia, palavra que significa “obrigado”, traz para nós a presença real de Jesus Cristo, uma grande ação de graças a Deus, um grande “obrigado” por ter nos entregue seu memorial perene.
Aos doentes, aos pobres e descartados Jesus sempre reservou um encontro pessoal, restaurador.
Nós também, ao nos encontrarmos com eles, estamos nos encontrando com o próprio Cristo que sofreu na cruz por nós.
Jovem, não dá para ser de Jesus Cristo sem reservar momentos especiais para estar com Ele.
Esse contato com Ele anima o nosso projeto de vida, fortalece o desejo de santidade, dá sentido aos compromissos com os pobres e sofredores, aumenta a nossa fé e nos torna capazes de amar e de sermos amados.

CONCLUSÃO


“Eu lhes escrevo, jovens, porque vocês são fortes” (1Jo 2, 17). Dentro de vocês há uma força muito grande. Se soubessem a força que mora em vocês, transformariam o mundo. Sairiam dessa tibieza e estagnação que muitas vezes os assolam.
Chegamos ao fim de nossa carta, mas não de nossa amizade e diálogo. Que ao menos nos queiramos bem. Peço que rezem por mim, pelo bispo e amigo que não cansa de pedir a Deus por vocês. Saibam dizer “sim” ao Evangelho.
De nada valerão estas palavras escritas, se vocês não fizerem uma opção pessoal por Jesus Cristo. Abram as portas de seus corações e deixem a mensagem do Evangelho tomar conta de suas vidas. Obrigado pela atenção, pelo carinho e amor à Igreja. Nunca se esqueçam da juventude da qual vocês fazem parte. Que Deus os abençoe. Um grande abraço e até breve. Espero a resposta de vocês!

Dom Anuar Battisti
Arcebispo de Maringá



2 comentários:

anne disse...

Parabéns Padre Onildo por ter postado a carta de Dom Anuar.. Mais um meio pelo qual essa carta pode chegar aos jovens!

anne disse...

Parabéns Padre Onildo pela iniciativa de ter postado na internet a carta de Dom Anuar aos jovens.. Mais um meio pelo qual essa carta pode chegar aos jovens da nossa arquidiocese e do mundo inteiro!